5 atitudes práticas para evitar o aumento do aquecimento global

A elevação da temperatura terrestre é uma preocupação mundial. Esse processo afeta oceanos, geleiras e a própria atmosfera, tanto que várias nações já estão discutindo soluções para minimizar o aumento do aquecimento global.

Embora muitas atitudes dependam de políticas governamentais — definição de mudanças na matriz energética dos países, por exemplo —, ações individuais também contribuem para barrar o avanço do aquecimento global e os desdobramentos negativos do efeito estufa.

Leia nosso artigo e descubra o que você pode fazer para minimizar os impactos da poluição, usar energia sustentável e evitar o aumento do aquecimento global.

Entenda o processo e como ele acontece

O aquecimento global significa um aumento da temperatura média do planeta. É provocado pela concentração de gases poluentes na atmosfera em decorrência da ação humana. Indústrias e meios de transporte baseados na queima de combustíveis fósseis são os maiores emissores de gases.

Várias nações estão instituindo programas para reduzir a concentração de gases na atmosfera. Muitos foram definidos a partir do Acordo de Paris, assinado na Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças do Clima, em 2015. O Brasil é um dos signatários do documento.

Tais gases ficam concentrados na atmosfera terrestre em função do efeito estufa. Entretanto, é importante entender que ele é fundamental para a vida no planeta ao garantir temperaturas habitáveis. Sem ele, as temperaturas na Terra poderiam ficar abaixo de 18 graus Celsius negativos.

O problema é que, além de ser uma barreira contra o resfriamento, o efeito estufa também impede que os gases se dissipem. Ou seja, todos os gases poluentes ficam concentrados em nossa atmosfera, prejudicando a vida humana e causando a elevação da temperatura dos oceanos.

Isso também leva a outros desdobramentos — como o derretimento das calotas polares — que podem causar inundações em alguns locais. Em outras áreas pode ocorrer seca e aumento de temperatura capaz de gerar grandes incêndios florestais (como situações recentes ocorridas na Califórnia e em alguns países europeus).

Outros fenômenos naturais e ações humanas também agravam o efeito estufa:

  • desmatamento, já que as florestas retiram o gás carbônico da atmosfera;
  • queimadas em áreas naturais para a criação de pastos e outras áreas agrícolas, pois com a incineração há uma elevação nas emissões de gás carbônico;
  • uso de combustíveis fósseis não somente no transporte, mas também para a geração de energia elétrica e térmica.

Saiba como evitar o aumento do aquecimento global

Como é possível perceber, várias iniciativas individuais podem contribuir para o não agravamento dos impactos do efeito estufa. Algumas foram listadas pelo Instituto Akatu e mostram a importância da conscientização. Confira!

1. Pratique o consumo racional

Quando as pessoas aumentam o consumo de produtos e serviços, normalmente mais desmatamento é necessário para realizar instalações industriais. Isso não significa que deva haver um retrocesso nas relações de consumo, mas a adoção de comportamentos mais conscientes na hora da compra.

Veja exemplos de ações que envolvem o uso racional de recursos naturais:

  • priorize madeiras certificadas, pois indicam que a matéria-prima não veio da devastação de florestas, bem como a empresa que a utiliza na fabricação de móveis, pisos, utensílios, equipamentos e produtos promove o reflorestamento;
  • reduza o consumo de itens de origem animal porque isso evita o desmatamento de mais áreas dedicadas a pastos. Isso inclui não apenas carnes, leite e derivados, mas outros produtos de origem animal — como peças fabricadas em couro;
  • prefira comprar produtos de empresas que atuam de forma sustentável ou oriundos de comunidades locais que geram empregos, renda e que minimizam o impacto ambiental.

2. Deixe o carro na garagem

Se puder, caminhe ou utilize bicicletas. Prefira o transporte público e apoie iniciativas locais voltadas à mobilidade urbana. Muitas cidades brasileiras já estão investindo no carsharing (compartilhamento de veículos elétricos) como iniciativa para reduzir emissões.

Caso precise utilizar seu veículo, procure abastecer com etanol, que não emite gases poluentes na atmosfera.

3. Evite o desperdício

Isso vale para tudo, desde alimentos até itens diversos utilizados em seu dia a dia, como roupas, materiais de escritório e escolares, objetos domésticos, entre outros. Além disso, separe os resíduos para fazer a reciclagem e descarte adequado.

Materiais como papel, vidro, alumínio e plástico podem ser reutilizados pela indústria como novas matérias-primas, aumentando o seu ciclo de vida e causando menos impacto à população.

4. Conheça mais sobre a produção da soja

A soja é utilizada na alimentação e na fabricação de óleo, ração para animais e até biocombustíveis, como o biodiesel. No entanto, suas plantações estão devastando áreas da Floresta Amazônica e do Cerrado brasileiro. Por esse motivo, é importante verificar os rótulos dos produtos consumidos e a origem da soja utilizada na fabricação.

5. Priorize fontes de energia limpas e renováveis

Além de deixar seu veículo na garagem sempre que possível, usar outras fontes da geração de energia deve ser prioridade. A adoção de sistemas para geração de energia solar térmica, por exemplo, é uma das ações que podem contribuir para minimizar os impactos do aquecimento global.

A tecnologia, que promove o aquecimento de água e outros fluidos por meio do uso de coletores solares térmicos e boilers (que armazenam o líquido aquecido), reduz o consumo de energia elétrica. Com sua disseminação as usinas de geração são menos exigidas, o que significa menor uso das térmicas (cuja produção se baseia na queima de hidrocarbonetos).

Além da energia solar térmica, a adoção de sistemas para geração de energia fotovoltaica, que transformam a insolação em energia elétrica ou energia eólica, também são ações importantes para reduzir o consumo de eletricidade.

A energia solar térmica pode ser utilizada em residências para o aquecimento da água de chuveiros, torneiras e piscinas, bem como em outros empreendimentos. Hotéis, condomínios, academias, clubes e até indústrias que precisam aquecer diferentes fluidos se beneficiam da tecnologia e, de quebra, contribuem para evitar o aumento do aquecimento global.

Quer saber mais sobre atitudes sustentáveis que minimizam os impactos do aquecimento global e oferecer as melhores soluções a seus clientes? Entre em contato conosco e fique por dentro de todas as inovações do mercado de geração de energia térmica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *