Sustentabilidade na construção civil: por que se preocupar com esse tema?

Falar de sustentabilidade na construção civil é de extrema importância, visto que esse é um setor que impacta bastante o meio ambiente. Para realizar uma obra, além da geração de muitos resíduos, a extração de diversos recursos naturais se faz necessária.

Porém, a ideia de sustentabilidade não é enxergada apenas pelo viés ecológico. Ela também pode ser entendida sobre três pilares principais: a ecologia, a economia e a sociedade. Isso significa que os benefícios de pensarmos de maneira sustentável serão sentidos diretamente no nosso bolso.

Pensando nisso, neste post, apresentamos alguns dos principais motivos pelos quais você deve se preocupar com esse assunto. Então, leia com atenção e saiba mais!

Construção mais barata

Apesar de diversos processos e técnicas dentro de uma obra dita sustentável parecerem caros e modernos, isso nem sempre é verdade. Existem meios simples para aprimorar a construção que, muitas vezes, são mais baratos que métodos tradicionais.

Um exemplo é o telhado verde que consiste num telhado feito com terra e plantação de gramado sobre o topo da construção. Ele pode ser usado para cobrir grandes áreas com um valor relativamente baixo. Possui ainda um bom isolamento acústico e ajuda a reter poeira.

A aplicação não precisa estar necessariamente na finalização da obra, podendo estar também durante sua execução. Além disso, o uso de materiais reciclados e de equipamentos reaproveitáveis diminuem os custos e são ecologicamente interessantes.

Eficiência energética

Um outro motivo para se considerar uma construção sustentável é a questão elétrica. Uma obra nesses moldes, ao utilizar meios mais eficientes para o aproveitamento de energia, trará economia na sua conta de eletricidade.

Os métodos mais utilizados são o aquecimento solar — que, por meio de placas, capta a irradiação do sol e converte-a em energia térmica (água quente) — e o uso de lâmpadas e eletrodomésticos com selos de certificação. Apesar desses produtos possuírem um valor mais elevado, é preciso considerá-los. Afinal, não se trata de um gasto, mas, sim, de um investimento com retorno rápido e garantido.

Economia e reaproveitamento de água

Ao construirmos, obviamente, precisamos de uma boa quantidade de água, na medida em que ela será usada em diversos processos durante a execução do projeto. Após a finalização, também a utilizamos no dia a dia da casa, afinal, ela é indispensável para a vida.

Devido à sua importância, é crucial encontrar meios para economizá-la. Durante o andamento da construção, é possível fazer isso utilizando concreto ecologicamente correto, que gasta menos água para a sua fabricação. Já no cotidiano, o indicado é ter um sistema hidráulico de qualidade e realizar a captação de água proveniente de chuvas para usar em limpezas ou regar plantas, por exemplo.

Maior valorização no mercado imobiliário

Apesar de um imóvel sustentável ser mais barato em sua concepção, isso não se reflete negativamente na sua venda. Pelo contrário, ao realizar um investimento para uma obra nesse esquema, ela será valorizada e poderá ser vendida por um preço maior. Isso significa que as pessoas estão dispostas a pagar mais, visto que esse gasto será compensado no futuro.

Devido aos seus benefícios, a sustentabilidade na construção civil é uma discussão que está cada vez mais em alta. Então, ao decidir construir ou reformar, converse com os profissionais envolvidos para que eles possam direcionar o seu projeto para essa vertente.

Agora que você já sabe mais sobre sustentabilidade na construção civil, que tal ter uma vida mais sustentável como um todo? Para tanto, leia este outro post com 6 dicas imperdíveis para ter uma rotina com mais sustentabilidade e comece a colocá-las em prática hoje mesmo!

5 dicas para aumentar a produtividade da sua equipe de vendas

Uma equipe de vendas produtiva é o segredo do sucesso financeiro e competitivo de qualquer empreendimento, seja qual for setor em que ele atua ou seu porte diante do mercado.

Afinal, vendedores bem qualificados, experientes e motivados são as principais ferramentas de captação de recursos para a empresa, além de serem responsáveis por fidelizar clientes e manter o fluxo de capital em índices estáveis para o negócio.

Por isso, aumentar a produtividade de seu time de vendas é uma das tarefas mais importantes e, no artigo de hoje, mostraremos cinco dicas úteis para tornar isso possível. Continue a leitura do conteúdo para conferir!

1. Mantenha sua equipe de vendas motivada

Profissionais motivados não trabalham apenas para si, mas pelo bem coletivo e pelo sucesso do negócio, não é verdade? Portanto, uma das melhores formas de otimizar a produtividade de sua equipe de vendas é garantir que todos os seus integrantes tenham motivação para gerar os melhores resultados para a empresa.

Motivar é, basicamente, o processo de agregar motivos para uma ação. Portanto, estimule os seus vendedores por meio de motivos fortes, como:

  • comissões nas vendas de seus produtos;
  • bonificações e incentivos financeiros a cada meta alcançada;
  • premiações e formas de reconhecimento pela boa performance e produtividade.

2. Invista em treinamentos

Experiência e preparação são qualidades indispensáveis em um bom time de vendas. Por isso, se você deseja aumentar a produtividade de seus vendedores, considere investir em treinamentos para melhorar o seu conhecimento e, consequentemente, seu desempenho.

É muito comum nos depararmos com profissionais que sabem trabalhar bem e são esforçados, mas não conseguem alcançar melhores resultados, pelo simples fato de desconhecerem procedimentos mais eficientes e informações relevantes sobre o consumidor.

Portanto, ofereça treinamentos para aprimorar as suas habilidades e conhecimentos sobre o mercado em que o negócio atua e, é claro, sobre o público-alvo de seu produto.

3. Estabeleça metas e objetivos

Como mensurar os resultados que sua empresa está alcançando sem estabelecer metas e objetivos para a equipe de vendedores?

Quando aplicadas corretamente, as metas servem para impulsionar os resultados do empreendimento, estimular a competitividade positiva no ambiente de trabalho e melhorar as vendas, servindo como uma forma saudável de aumentar a produtividade de seus funcionários.

A partir do momento em que os profissionais sabem qual é o objetivo que a empresa deseja atingir, o caminho se torna mais claro e os motivos para realizarem o trabalho também. 

Lembrando que é importante estipular metas individuais (para cada vendedor) e metas coletivas (para toda a equipe de vendas), já que essa é uma das melhores formas de gerenciar a equipe de vendedores.

4. Faça um planejamento consistente

O planejamento faz parte da realidade de qualquer empresa que deseja não somente sobreviver no mercado, mas também garantir um índice de crescimento satisfatório.

Para isso, é necessário realizar um planejamento estratégico que inclua todas as medidas que devem ser adotadas desde o momento da prospecção de clientes e das métricas de resultados até o monitoramento da produtividade da equipe de vendas.

Além disso, para aumentar a produtividade, é importante verificar se não existem falhas nas etapas de definição do público-alvo, de modo que seja possível atualizar as ações do departamento de vendas e alinhá-las aos setores de marketing e comunicação com o cliente.

5. Tenha boas ferramentas e recursos de trabalho

Para finalizarmos, é importante citar que, em um mundo tecnologicamente avançado, trabalhar com boas ferramentas e recursos inovadores, principalmente se o objetivo for aumentar a produtividade do time de vendas, é uma medida que deve ser implementada pelo gerente de vendas.

Por exemplo, para realizar uma gestão de relacionamento com o cliente de maneira assertiva, a equipe pode contar com um sistema de CRM, receber o auxílio de softwares de automação de tarefas para lançar suas vendas no banco de dados da empresa, além de mensurar o desempenho de cada membro com mais eficiência.

Agora que você já conhece as melhores práticas para aumentar a produtividade de sua equipe de vendas, não deixe de assinar a nossa newsletter para acompanhar todas as postagens do blog!

Bombas para piscina: Como escolher a melhor opção

Ter uma piscina em casa é o desejo de vários brasileiros — para muitos, é um sinônimo de status e uma opção de lazer para a família. Do ponto de vista econômico, ter uma piscina ainda valoriza o seu imóvel, que costuma valer 30% a mais. A presença dela também contribui para 80% do fechamento de negócios, já que agrega mais valor à venda.

Bem, não sei se você sabe, mas não é viável ter uma piscina sem bomba. Esse equipamento é essencial, pois é ele o responsável por bombear a água, fazendo com que ela circule no processo de filtragem. E é esse processo que vai garantir a limpeza e também a qualidade da água.

Sendo assim, reunimos aqui alguns critérios que vão te ajudar na escolha da melhor bomba centrífuga para a sua piscina. Além disso, é importante ficar atento à relação que a bomba tem com o aquecedor, para que o aquecimento ocorra em perfeitas condições e não impeça o seu uso, independentemente da estação do ano. Portanto, para esclarecer suas principais dúvidas continue lendo o nosso post:

Opte por duas bombas e sistemas independentes

Com o intuito de economizar, alguns proprietários de piscina costumam comprar apenas uma bomba, que será usada tanto para a filtragem — função principal do equipamento — como também para o aquecimento da água. Contudo, essa prática está totalmente equivocada e não garante a manutenção do bom funcionamento da sua piscina.

Ao usar apenas uma bomba para filtragem e para o aquecimento, o proprietário da piscina terá que fazer um “jogo de registro” constantemente — o que vai acabar acarretado na queima do equipamento. Esse jogo de registro consiste na abertura e fechamento frequentes para direcionar a água em um momento para a filtragem e em outro para o aquecimento. Essa manobra faz com que ocorra a sobrecarga do sistema.

Dessa forma, o ideal é adquirir uma bomba que será de uso exclusivo para a filtragem e outra motobomba que terá apenas a responsabilidade do aquecimento da água da piscina, construindo então dois sistemas independentes.

Vale ressaltar que em muitas ocasiões será necessário filtrar e aquecer a água ao mesmo tempo, e caso a sua piscina não tenha as duas bombas disponíveis — ou seja, os dois sistemas independentes — certamente você terá que optar por apenas uma das manutenções de cada vez.

É importante lembrar que, embora seja necessário ter duas bombas — uma para filtragem e outra para o aquecimento —, é possível armazená-las na mesma casa de máquinas. Além disso, pode- se utilizar o mesmo encanamento e a mesma tubulação para a instalação dos dois equipamentos. Não se esqueça da importância de analisar a capacidade do encanamento, informação valiosa para compatibilidade com a bomba.

Por outro lado, o uso de duas bombas faz aumentar os gastos com o consumo de energia elétrica. Estima-se que a cada 12 horas de uso do equipamento, gasta-se R$ 7 a mais de energia elétrica — ou seja, em torno de R$ 210 a mais ao mês, considerando que ela funciona no máximo 12 horas por dia.

Mas aí vai um alerta: ainda que o gasto se eleve um pouco, o proprietário não correrá o risco de ter a sua única bomba queimada por excesso de trabalho e mau uso.

Fique atento à relação entre bomba e aquecedor

Outro aspecto de extrema importância a ser avaliado é a potência da bomba. Na maioria dos casos, o fabricante do aquecedor de piscinas faz a indicação da potência do modelo necessários para que o tipo específico do aquecedor seja capaz de funcionar de forma eficiente.

No caso do trocador de calor — tipo de aquecedor utilizado em grande parte das piscinas —, o aquecimento é feito tanto pela corrente elétrica quanto pela corrente alternada. Sendo assim, é preciso verificar com o fabricante qual é a potência ideal da bomba.

Uma das marcas mais consolidadas no mercado recomenda, por exemplo, que o trocador de calor SD 25 use uma bomba com potência de 1⁄4 cavalo, enquanto o trocador de calor SD 50 precisa de uma bomba com potência de 1⁄2 cavalo para garantir que o aquecimento seja feito de forma equilibrada e assertiva.

Para o aquecedor solar, aquele que usa a radiação do sol para elevar a temperatura da água da piscina, é necessário avaliar a compatibilidade da potência da bomba, de acordo com a distância existente entre a casa de máquina e o telhado em que estarão instaladas todas as placas fotovoltaicas do sistema.

Além disso, a potência da bomba também dependerá do tamanho da piscina, bem como do seu volume total. Lembre-se de ter em mãos dados como o comprimento, a largura, a profundidade e o diâmetro da piscina, para fazer o cálculo exato.

Tenha cuidados específicos com a bomba

Bem, além de ficar atento à escolha da melhor bomba para piscina, é importante ainda tomar certos cuidados para manter o equipamento em boas condições de uso, bem como permitir que a bomba alcance o máximo da sua vida útil.

Dessa forma, é preciso monitorar a casa de máquina, com o objetivo de mantê-la sempre limpa e evitar a umidade no espaço. Lembre-se sempre de controlar também a possibilidade de vazamentos na casa de máquina, pois em casos de contato da água com o motor elétrico, pode ocorrer a queima da bomba ou mesmo a trava total do rolamento.

Da mesma maneira, deve-se acompanhar a situação dos registros. A bomba e o filtro nunca podem funcionar enquanto os registros estiverem fechados, ou seja, sem a liberação do fluxo normal de água.

É importante destacar ainda que a escolha certeira das bombas para piscina está diretamente relacionada ao consumo de energia elétrica. Portanto, procure se informar de como é possível adquirir bombas, que prezem por esse consumo de maneira mais econômica.

E então, gostou das nossas orientações para a escolha da melhor bomba para a sua piscina? Se quiser saber mais sobre o assunto — os melhores modelos e marcas dos equipamentos disponíveis no mercado, além do melhor custo benefício —, acesse mais informações no site da Paraíso das Bombas.

Aquecedores de piscina: quais as vantagens e como escolhê-los?

Aquecedores de piscina são um dos equipamentos mais interessantes para quem possui piscina em casa ou, até mesmo, uma empresa que ofereça aulas da natação ou similares. São eles que permitem que a temperatura da água esteja agradável, independentemente do clima no ambiente.

Com diversos modelos disponíveis no mercado, decidir qual se encaixa melhor na sua demanda pode tornar-se uma tarefa complicada. Mas não se preocupe! Neste post, explicaremos cada tipo e apontaremos as características de cada um deles, facilitando, assim, a sua escolha. Portanto, leia com atenção!

Aquecedores de piscina elétricos

Funcionam de maneira simples: transformam energia elétrica em energia térmica, elevando a temperatura da piscina. Apesar de o equipamento possuir um custo baixo, de cerca de 1500 reais, o gasto mensal é alto. Isso porque é necessário um grande uso de eletricidade para garantir seu funcionamento. Por esse mesmo motivo, ele não possui uma boa sustentabilidade ambiental.

Sua principal vantagem é conseguir atingir boas temperaturas, independentemente das condições climáticas.

Trocadores de calor

Apesar de ser um sistema elétrico, ele difere-se dos modelos convencionais no seu funcionamento, não convertendo energia elétrica diretamente em calor. Ao invés disso, ele retira ar quente do ambiente e aquece o gás que está dentro do equipamento. O calor desse gás é, então, transferido para a água.

Entre suas vantagens, podemos destacar sua instalação, que é rápida e fácil, e seu teor econômico, chegando a 80% de economia, quando comparado com outros modelos elétricos.

Já suas desvantagens estão no longo tempo de espera para atingir a temperatura desejada e no preço do equipamento em si, que é elevado, podendo chegar a 6 mil reais. Porém, a longo prazo, haverá retorno desse gasto inicial.

Aquecedores de piscina a gás

O funcionamento desse modelo também ocorre por intermédio de uma troca de calor, porém de maneira diferente. Há combustão de gás dentro de um recipiente, que esquenta progressivamente a água. Esse aumento de temperatura ocorre de maneira rápida, mas é preciso ficar atento ao dimensionamento da sua piscina: esse tipo de sistema é indicado para modelos de até 150 m3.

Apesar de o sistema não possuir um alto custo, seu gasto mensal com compra de gás pode ser um problema.

Aquecedores de piscina solares

Esse tipo de aquecedor é, de longe, a opção mais econômica e ecologicamente correta, por não utilizar energia elétrica. Ele se dá por meio da instalação de placas solares, geralmente no telhado, e utiliza a energia vinda do sol para fazer com que a temperatura aumente.

Caso não ocorra uma boa incidência solar, ele não exercerá sua função com máxima eficiência. Porém, em áreas com alta exposição de sol, ele pode funcionar de maneira tão satisfatória ou até melhor que outros modelos.

Apesar de o seu custo inicial ser um pouco elevado, ele possui o retorno mais rápido do investimento, devido ao seu perfil econômico.

Para garantir sua eficácia em qualquer época do ano, é indicado que ele seja instalado em conjunto com outros sistemas de aquecimento, como o trocador de calor.

Adquirir equipamentos como aquecedores de piscina é um ótimo investimento. Caso necessário, consulte profissionais capacitados para que eles possam avaliar qual modelo melhor atende às suas necessidades.

Nosso artigo te ajudou? Então, assine nossa newsletter e receba em primeira mão mais informações úteis para você!

O preço do aquecedor solar é o mais importante na hora da compra?

A energia solar já é mundialmente reconhecida como uma das maneiras mais eficientes e econômicas de se obter uma energia limpa, que não prejudica o planeta e que possui uma fonte inesgotável. Porém, quando os consumidores buscam por esse tipo de alternativa, é comum que eles se preocupem com o preço do aquecedor solar, e o vejam como uma desvantagem.

Mas será que o preço é realmente o mais importante na hora da aquisição desses produtos? Existem muitos outros fatores – tais como funcionamento, qualidade e tamanho – que devem ser levados em conta pelo cliente no momento da compra.

Quer saber mais sobre as características desse sistema? Neste post, nós explicamos quatro elementos que você precisa saber antes de vender um aquecedor solar. Confira!

Funcionamento

Antes de comprar um produto, é comum que o consumidor se interesse pela maneira pela qual ele funciona. O aquecedor solar utiliza a energia proveniente da luz do sol para aquecer placas ou coletores solares. A água então passa pela tubulação desses coletores e aquece ao entrar em contato com o calor que foi ali armazenado. Depois, é enviada a um reservatório técnico (boiler), responsável por repassá-la para as áreas de consumo.

Normalmente, esses equipamentos trabalham com um sistema auxiliar de energia elétrica ou a gás, que entra em funcionamento em dias nublados ou com chuva, nos quais os raios solares não são suficientes para a obtenção de energia.

É importante lembrar que um bom aquecedor solar é aquele produzido com materiais com grande poder de absorção de energia e pouca troca de calor, que conseguem manter a água aquecida de forma eficiente e por mais tempo.

Tamanho

Para adquirir o aquecedor ideal, é essencial que o cliente compreenda quais são suas necessidades diárias de energia para o aquecimento de água. Então, para fornecer o produto certo, você precisa saber quantos chuveiros e torneiras ele possui em sua residência (e qual a vazão de cada), além da frequência e duração aproximada dos banhos.

Com essas informações em mente, é possível calcular o tamanho do reservatório técnico e a quantidade de coletores que o cliente necessita em seu sistema de aquecimento. Por exemplo, para uma casa com 3 moradores, em que cada um utiliza 100 litros de água por dia, um reservatório de 300 litros é o suficiente. Já que cada coletor solar de aproximadamente 1,5 m2 é capaz de aquecer 100 litros de água, o cliente precisaria, nesse caso, de 3 coletores.

Qualidade

A qualidade é um fator essencial que deve ser levado em consideração na hora da aquisição de um aquecedor solar. Quanto maior a qualidade do produto, menor é o risco de apresentar problemas com o passar do tempo.

Por isso, para quem não gosta de ter imprevistos e gastos desnecessários, é essencial investir em um bom equipamento, produzido por uma empresa confiável e experiente no segmento.

Instalação

A instalação do aquecedor solar deve ser realizada sempre por uma empresa de confiança. Afinal, qualquer erro nesse processo pode comprometer o funcionamento do produto e o seu rendimento.

Devido a isso, é importante fazer com que o cliente compreenda que, se ele quer utilizar esse tipo de aquecimento de forma eficiente e segura, precisa contar com a ajuda de profissionais especializados para realizar a instalação.

Na hora de adquirir um sistema que permita utilizar a energia solar, existem muitos fatores que devem ser levados em consideração e que vão além do preço do aquecedor solar. Afinal, a compra de um bom produto é sempre um investimento, e adquirir um equipamento de qualidade e que atenda às suas necessidades certamente fará toda a diferença.

Quer saber mais sobre como funciona a instalação de um aquecedor solar? Então, não deixe de ler nosso manual sobre o assunto!

5 dicas para fazer um ótimo planejamento de vendas

Que o objetivo de uma empresa é aumentar suas vendas, não é novidade para ninguém. É o que mantém uma loja aberta e cria oportunidades de expansão. Mas, para isso acontecer, é necessário traçar um bom planejamento de vendas.

Com ele você determina as metas a serem alcançadas e as técnicas que serão usadas para isso. Ele é essencial, pois minimiza erros e prejuízos, além de fornecer direcionamentos eficazes para seu estabelecimento.

Se organizar é preciso e, por isso, te daremos 5 dicas importantes para você dar início ao seu planejamento. Então, leia com atenção!

1. Determine os objetivos a serem atingidos

Dizer que você deseja aumentar suas vendas é muito vago. Você precisa definir, de maneira realista, o quanto você deseja aumentar e em quanto tempo.

O aumento vem de maneira gradual e estipular uma meta evitará frustrações e possibilitará uma boa análise dos resultados. Essa meta será baseada em diversos fatores, desde o tamanho do seu empreendimento até os meses que as vendagens aumentam.

Você também pode utilizar registros de vendas da sua empresa como base para definir os objetivos possíveis. 

2. Realize uma análise completa da sua empresa

É preciso conhecer a fundo o seu negócio para realizar investimentos e ações com alta eficácia. Para isso, faça uma análise completa, levando em consideração diversos fatores como quais produtos são mais vendidos, em que época ocorrem as maiores vendas, qual é o seu público-alvo, se sua equipe de vendas se sente motivada, o que leva os clientes a comprarem na sua loja e não na concorrência etc.

Dessa maneira, você determina quais são os pontos fortes e fracos da sua companhia, podendo investir naquilo que for realmente necessário.

3. Escolha estratégias de vendas adequadas 

Existem diversas técnicas que podem ser utilizadas para aumentar as vendas de uma companhia. É preciso selecionar apenas aquelas que se adequam tanto a sua empresa quanto ao seu produto, e também aos objetivos que você visa.

Leve em consideração se você deseja conquistar clientes de outros segmentos do mercado com novos produtos, fidelizar a clientela de concorrentes, se você utilizará a internet para isso, os planos de marketing que a sua empresa tem algum tipo de identificação, entre outros pontos importantes. 

Verifique atentamente as estratégias escolhidas para que não ocorra desperdício de tempo ou prejuízo em técnicas que não funcionarão para sua firma.

4. Conheça o mercado

Mais do que conhecer a sua própria empresa, é necessário que você conheça o mercado no qual ela se encaixa, antes de dar qualquer passo.

É a melhor maneira de saber o contexto que sua loja está inserida e entender a maneira com a qual ele opera. Você poderá descobrir novos produtos, tendências e o que deve ser modificado na sua companhia.

Lembre-se: conhecer o mercado é estar um passo à frente da sua concorrência.

5. Inclua sua equipe de vendas no planejamento

Tão importante quanto suas estratégias e produtos, é possuir uma equipe de vendas treinada, capacitada e motivada. Por isso, se reúna com seus profissionais em cada etapa do planejamento e também na execução, realizando treinamento nessa fase do projeto.

Mantenha em mente que eles representam o contato direto entre a sua empresa e os clientes. Portanto, estão aptos a dizer o que o público tem a reclamar e a elogiar, o que acreditam que deve ser mudado e o que os estimulariam a alcançar maiores números de vendas.

Um planejamento de vendas é a base na qual sua empresa desenvolverá todo o projeto para alcançar o principal objetivo do mercado. Deve ser realizado com cuidado e atenção, para que o sucesso seja certeiro e o aumento de vendas seja satisfatório.

Gostou desse artigo sobre planejamento de vendas? Tem algo a acrescentar? Deixe seu comentário e nos deixe ouvir suas opiniões sobre o assunto!

Economia de energia: 5 aparelhos que vão te ajudar a reduzir custos

A preocupação com economia e orçamento doméstico é recorrente na casa dos brasileiros, especialmente em tempos de crise. Uma energia que apresenta constantes aumentos e reajustes, como a que temos hoje, acaba pesando no orçamento se não for utilizada de forma consciente.

A economia de energia, além de contribuir para um mundo mais sustentável, permite a redução dos custos e alívio das contas no fim do mês. Aliado a isso, a tecnologia desenvolvida tem disponibilizado no mercado alguns aparelhos que facilitam essa tarefa. Listamos 5 deles para você começar hoje mesmo a reduzir os custos com energia. Acompanhe!

1. Lâmpada inteligente

A lâmpada inteligente é uma forma de economizar energia a partir do controle da luminosidade. Através de um interruptor já comumente utilizado por todos, a lâmpada inteligente torna possível o reconhecimento de comandos para controlar a intensidade da iluminação.

É o bulbo inteligente que ajusta a potência de acordo com a vontade do usuário. Dessa forma, a energia usada é o suficiente para atender a demanda do momento e não há desperdício.  

2. Ar-condicionado ecologicamente correto

O ar-condicionado que funciona alimentado por energia solar também é uma boa opção para quem quer economizar e reduzir os custos. Modelos ecologicamente corretos são apostas de empresas igualmente preocupadas com o meio ambiente e que valem o investimento.

3. Dispositivo conectado na tomada

Existe no mercado um dispositivo que, quando conectado ao aparelho, consegue dosar a quantidade de energia necessária para seu funcionamento, impedindo o gasto desnecessário. Desenvolvido para geladeiras, freezers, bombas de piscina e de hidromassagem, esse dispositivo proporciona uma economia de energia de até 35%.

Além disso, outra alternativa de economizar energia é observar os aparelhos que podem ser desconectados da tomada quando não estiverem sendo utilizados. Isso porque alguns, mesmo que desligados, continuam funcionando no modo stand by e acabam gastando energia.

4. Energia solar

Que a energia solar é uma alternativa mais econômica e ecológica para alimentar tanto residências quanto estabelecimentos comerciais não é surpresa para ninguém. Utilizar mais essa fonte de energia e de forma otimizada, garante redução na conta de luz e proteção ao meio ambiente.

Muitas empresas se especializaram na instalação das placas de energia solar e tornaram essa tecnologia mais acessível. Além disso, é possível encontrar objetos como coolers, carregadores portáteis e até powerbanks que já funcionam a partir de painéis de energia solar.

5. Chuveiro econômico

Alguns modelos de chuveiros também foram desenvolvidos com o objetivo de economizar energia. Eles podem ser um pouco mais caros que os modelos convencionais, mas representam, na verdade, um investimento, já que proporcionam no futuro uma redução da conta de luz.

Pronto para economizar energia com todas essas opções que o mercado oferece? Não só como uma boa alternativa para contribuir para um planeta sustentável, a economia de energia representa também uma forma de reduzir os custos domésticos. A preocupação com o orçamento pode ser substituída por mais qualidade de vida e estabilidade.

Gostou do nosso artigo? Então, aproveite e dê uma olhada em outras formas fáceis de economizar energia para que, cada dia mais, você possa usufruir dos benefícios dessa prática.

Sistema de aquecimento solar: como deixar a piscina mais gostosa em qualquer tempo

Existem localidades de clima muito frio que precisam que a piscina seja aquecida durante todo o ano, ou, pelo menos, metade dele. Mesmo em regiões tropicais, as pessoas deixam de aproveitar a piscina durante a madrugada e em dias nublados e chuvosos porque não estão à vontade com a temperatura da água.

Hoje já existem várias tecnologias para resolver esse problema, mas o sistema de aquecimento solar tem alguns benefícios únicos. Continue a ler e descubra-os!

Funcionamento do sistema de aquecimento solar

As placas solares feitas de material resistente à corrosão são instaladas em uma área de grande incidência solar e ao céu aberto, que pode ser tanto no telhado quanto no solo, e são direcionadas de forma a otimizar a capitação solar. Com a ajuda de uma motobomba (que em alguns casos pode ser o filtro da piscina), a água da piscina é enviada para as placas, onde absorve o calor. Esta circulação é realizada enquanto a temperatura externa for maior que a temperatura da água da piscina. Este controle é feita com a ajuda de um controlador digital.

Vantagens do sistema

Economia

Se você fizer uma pesquisa sobre os preços de instalação de sistemas de aquecimento, verá que existem alternativas mais baratas que o solar — como o elétrico, por exemplo. Muitas pessoas fazem uma escolha com base nessa informação, mas essa não é uma decisão sábia se você quer economizar.

O sistema de aquecimento solar precisa de placas de captação, transporte hídrico e tanque de armazenamento — esse último para manter a temperatura estável mesmo durante a noite e em dias nublados. Uma vez feito o investimento inicial, ele carece de apenas uma coisa: o sol. Isso significa que, salvo pela bomba que troca a água da piscina e pequenas manutenções, você terá custo zero durante todos os anos seguintes. É o sistema mais econômico a longo prazo.

A água aquecida pelo sol também pode ser utilizada para chuveiros e pias, o que reduz ainda mais a necessidade de gastos com energia elétrica.

Independência e versatilidade

Alguns sistemas carecem de fontes específicas, como gás ou lenha, que precisam ser adquiridos e transportados até o local de aquecimento. O sistema de aquecimento solar é completamente independente e não necessita de insumos exteriores. 

Isso torna o sistema mais prático e tira do administrador da piscina a preocupação com a manutenção de estoque da fonte de calor e o livra de surpresas desagradáveis, como um aumento abrupto no preço do gás ou mesmo uma paralisação no fornecimento — que pode acontecer por motivos técnicos ou geopolíticos.

Seja um sítio isolado do meio urbano com acesso por estrada de terra, um clube no meio da cidade ou ainda um apartamento de cobertura com uma pequena piscina, o aquecimento solar é capaz de suprir a demanda com autossuficiência e praticidade.

Ecologicamente correto

No momento atual, já não podemos consumir preocupados apenas com nossas necessidades individuais. O uso de fontes não renováveis, — como lenha, carvão e gás — é um problema ambiental grave que precisa ser solucionado com urgência. 

A energia hidrelétrica — principal matriz brasileira — é uma fonte renovável e, durante muito tempo foi considerada limpa, mas não é bem assim. As grandes áreas alagadas causam impactos nas populações tradicionais, como povos ribeirinhos e indígenas, além de colocarem toda a vegetação submersa em estado de decomposição e impossibilitarem o fluxo migratório de inúmeras espécies.

O sistema de aquecimento solar é verdadeiramente renovável — o sol nunca se esgota! — e sustentável, com o menor impacto possível ao meio ambiente.

Agora que você conheceu as vantagens desse sistema incrível, curta nossa página no Facebook e receba todas as novidades diretamente no seu feed de notícias!

Confira 5 dicas incríveis para aumentar as vendas da sua loja!

Aumentar as vendas é o principal objetivo de todo negócio. Afinal, é assim que você torna possível a manutenção de sua empresa e funcionários, além da expansão de seu empreendimento. 

Porém, é comum que os estabelecimentos sofram baixas e fiquem perdidos a respeito de quais atitudes devem tomar para aumentar sua lucratividade. Mas não se preocupe!

Neste post, mostraremos 5 dicas para que suas vendas decolem. Por isso, leia com atenção!

1. Estabeleça seus objetivos

Ao dizer que seu objetivo é aumentar as vendas, você estabelece uma meta vaga, que pode ser desestimulante. Antes de tudo, defina o valor que você precisa que seu negócio alcance, a possibilidade real desse crescimento e o tempo necessário para alcançá-lo. 

Dessa maneira, você determina alvos a serem atingidos de maneira gradual e as melhores abordagens para atingi-los, além de contar com a possibilidade de analisar os resultados obtidos em cada etapa — assim, é possível verificar se seus métodos estão adequados e, caso não estejam, modificá-los sem grandes prejuízos.

2. Saiba quem é o seu público-alvo

De nada adianta oferecer os produtos mais sofisticados e incríveis se custarem um preço que está acima do orçamento de seus clientes. Por outro lado, também não vale a pena oferecer produtos baratos e com baixa qualidade.

Por isso, é muito importante conhecer os seus consumidores. Saber o que eles procuram e quanto podem pagar vai te ajudar a escolher bem quais mercadorias oferecer, as marcas mais adequadas aos seus clientes e os preços que lhes agradam. Agindo dessa forma, você cortará gastos desnecessários e não terá mais produtos encalhados na sua loja.

3. Conheça seu produto

Certifique-se de que você e sua equipe tenham conhecimento dos itens que comercializam. Saiba explicar com tranquilidade suas vantagens e funções.

Entenda também quais são as principais dúvidas do seu público sobre seu produto. Assim, você passará credibilidade para o seu cliente, aumentando as chances de compra, pois o levará a acreditar que está fazendo um bom investimento em uma loja de confiança e que entende suas demandas.

4. Foque no diferencial da sua empresa 

Para que sua loja se destaque perante a concorrência, você deve identificar o que a torna diferente e investir nisso. 

Uma loja de construção, por exemplo, pode ter como destaque seu prazo de entrega. Isso porque atrasos nesse ramo significam prejuízo direto e dias de trabalho perdidos. 

Descubra se o seu diferencial é o preço, prazo, modo de pagamento, bons vendedores ou materiais oferecidos e invista ainda mais nesse aspecto para conquistar mais clientes.

5. Qualifique sua equipe para aumentar as vendas

A plataforma de uma empresa são as pessoas que a compõe. De nada adianta ter todos os instrumentos e práticas se seus colaboradores não estiverem preparados para o trabalho. 

Portanto, treine sua equipe para que haja um bom entrosamento, competitividade saudável e aumento da produtividade. Lembre-se de que o contato direto de seu estabelecimento com seus clientes se dá por meio dos profissionais que ali trabalham e, por isso, eles devem ser bem preparados para sua função. 

Aumentar as vendas é mais que um objetivo, é uma necessidade e deve ser tratada como tal. Realize uma boa gestão de vendas, lembrando que ela é feita por meio de diversos aspectos que devem ser considerados e adequados ao seu negócio.

Curtiu este artigo? Então, compartilhe o post nas suas redes sociais para que ele alcance mais pessoas!

4 dicas incríveis para vender aquecedor solar na sua loja

Diante das mudanças climáticas e da necessidade de preservação ambiental, projetos que promovam a sustentabilidade têm ganhado destaque nas construções de casas, empresas, condomínios, prédios, etc. Nesse contexto, vender aquecedor solar na sua loja pode ser um ótimo negócio.

O mercado de geração de energia solar tem crescido significativamente no Brasil. Com sol praticamente o ano todo, a enorme capacidade solar do país tem se refletido no mercado, que apresentou crescimento de 8% em relação ao ano anterior e está entre os 5 países com melhor desempenho no mercado.

Se você atua na área de vendas de aquecedor solar e quer saber mais sobre o assunto, continue lendo este artigo e veja algumas dicas que vão te ajudar a aumentar as vendas e, consequentemente, a margem de lucro. Confira.

Dicas para vender aquecedor solar na sua loja

Hoje, cada vez mais pessoas optam por matrizes energéticas renováveis e limpas, o que contribui para o crescimento de todo o setor de produção, vendas e instalação de equipamentos para geração de energia e aquecimento solar.

Essa positiva consciência ambiental se reflete no aumento nas vendas, mas será que sua equipe está preparada para esclarecer as dúvidas e oferecer as informações de maneira adequada ao consumidor?

Veja algumas dicas que podem te ajudar:

Entenda a necessidade do cliente

Antes de vender, é preciso conhecer a fundo a realidade do cliente para oferecer a melhor solução de acordo com o caso específico, afinal as necessidades de um consumidor doméstico são diferentes de uma empresa, comércio, escola, etc.

Como o aquecedor solar é uma solução aplicável para diversas obras e finalidades, entender a necessidade do cliente é fundamental na hora de oferecer um diagnóstico preciso.

Conheça os benefícios do produto

Treine todos os seus vendedores de modo que eles saibam exatamente para que serve seu produto, com suas funcionalidades, vantagens e benefícios. Dessa forma, eles estarão preparados para esclarecer todas as dúvidas dos clientes, o que vai dar autoridade à sua marca.

Concentre-se em oferecer soluções genuínas

Com o mercado cada vez mais concorrido, é preciso se diferenciar. Para isso, ofereça soluções genuínas, que os concorrentes não são capazes de oferecer.

Invista no atendimento completo, esclarecimento das dúvidas, pós-venda eficiente e condições de pagamento diferenciadas, entre outros, sempre tendo como foco a satisfação e fidelização dos clientes.

Saiba quando afirmar a sua experiência em vendas

Tendo entendido bem a necessidade do cliente, apresentado todos os seus benefícios e oferecido soluções genuínas, ficará muito mais fácil sua empresa se tornar referência no setor.

Lembre-se sempre: quanto mais conhecimento sobre a solução oferecida e seu correto funcionamento (até mesmo com informações mais técnicas, caso haja necessidade), melhor para a consolidação da autoridade da sua marca no assunto.

Neste artigo falamos sobre algumas dicas para vender aquecedor solar na sua loja. Como vimos, esse é um mercado promissor, que tem crescido constantemente nos últimos anos devido à busca por meios de consumo sustentáveis e ecologicamente corretos, além de fatores financeiros também.

Se quiser saber um pouco mais sobre o tema, veja este artigo do nosso blog sobre os valores para se instalar e manter um aquecedor solar: Quanto custa um aquecedor solar? Descubra aqui!