Como fazer aquecedor solar? Aprenda aqui!

Se você procura uma maneira de tornar a sua casa econômica e moderna, saiba que isso é possível. O que você acha de aprender como fazer aquecedor solar?

Economizar energia é uma das maiores demandas do século XXI. Então, seria ótimo vivenciar a sustentabilidade enquanto cuidamos da saúde do nosso bolso!

Pensando nisso, muita gente quer saber como fazer esse sistema de aquecimento. Para ajudar nessa questão, mostraremos como fazer um aquecedor solar. Confira!

O funcionamento do aquecedor solar

Essa estrutura possibilita o aquecimento da água utilizando os raios solares. Para que isso ocorra, é preciso montar um sistema capaz de transformar a energia do sol em calor, transferindo-o para a água.

Componentes do aquecedor solar

Para construir esse sistema, é necessário montar algumas peças. Opte por materiais de boa qualidade, a fim de se obter o resultado esperado. Veja o que é necessário.

Coletores

São placas que podem ser feitas utilizando diversos materiais. Elas têm a função de coletar e transformar a energia do sol em calor.

Reservatório de água

Ele armazena a água e precisa ter isolamento térmico. Dentro desse recipiente devem ser instalados uma boia ligada a um tubo vertical que conduzirá a água fria para o fundo e um pescador que levará a água quente para o chuveiro.

Misturador com suporte térmico

Essa estrutura permite que chegue água aquecida ao chuveiro. É necessária colocação de um dimmer — dispositivo usado para acionar a energia elétrica, caso a água não esteja aquecida o bastante. Nos produtos domésticos, às vezes, é necessário recorrer a esse processo.

Lista de materiais

Vamos mostrar como confeccionar um aquecedor solar caseiro, utilizando placas tubulares de PVC. Esse equipamento tem capacidade de aquecer aproximadamente 200 litros de água. Você vai precisar dos seguintes materiais:

  • 2 a 3 placas de PVC de 1,20 metro;
  • tubos de PVC — escolher material compatível com o uso de água quente, respeitando o seu limite de temperatura;
  • cola ou resina;
  • tinta preta fosca;
  • lixa fina;
  • caixa d’água — ser for comum ela deve ser revestida com manta de alumínio;
  • conduíte para fazer o pescador — tubo que leva a água quente para cima;
  • 2 boias;
  • dimmer — para acionar o chuveiro elétrico caso seja necessário.

O passo a passo da instalação

  • pintar as placas passando 2 ou 3 demãos de tinta preta e depois lixar e impermeabilizá-las passando cola nos dois lados; 
  • unir uma placa à outra, encaixando-as aos tubos utilizando cola ou resina;
  • encaixar e fixar um tubo de cada lado — um para a entrada de água fria e outro do lado oposto para a saída de água quente;
  • instalar o equipamento no madeiramento do telhado com caída para o norte, a fim de potencializar a incidência dos raios solares;
  • preparar a caixa coletora, fazendo 5 furos — 2 na parte de cima, para a entrada de água da rua e para a saída pelo ladrão — 3 furos na parte de baixo, sendo dois para a entrada e saída de água para os coletores e outro para levar água quente para o chuveiro;
  • colocar na parte interna do reservatório um tubo vertical com boia na entrada de água da rua. Ele vai conduzir a água fria para o fundo;
  • fixar também um conduíte anexado a uma boia para conduzir a água quente, que é mais leve, para cima;
  • fazer as ligações externas — água fria do reservatório para a placa, água quente da placa para a caixa e dessa para o chuveiro.

Feito isso, é só testar o aquecedor e ver se já dá para começar a aproveitar os seus benefícios.

Enfim, o uso do aquecedor solar certamente potencializa a economia de energia elétrica, reduzindo muito as suas despesas. É bom lembrar também que as soluções caseiras podem não ser a melhor alternativa.

Empresas especializadas nesse segmento oferecem opções seguras, eficientes e personalizadas. É possível encontrar bons preços e qualidade e a economia com energia certamente pagará o investimento.

É sempre bom saber como fazer aquecedor solar, mas é importante investir no que trará economia com segurança, tranquilidade e comodidade. Tem alguma dúvida ou experiência sobre o assunto? Então, deixe o seu comentário!

Afinal, o que é boiler solar?

Ter um boiler solar é essencial para a eficiência do sistema de aquecimento solar e sem ele, dificilmente você terá uma grande economia no final do mês. O boiler solar se trata de um reservatório que tem o objetivo de conservar a água aquecida para ser usada posteriormente, sem necessidade de uso da energia elétrica para o procedimento.

É importante ressaltar que ter um equipamento de qualidade faz toda a diferença. Afinal, é ele quem vai manter a temperatura da água por mais tempo. O boiler solar tem se mostrado eficiente, garantindo diversas vantagens para quem apostou na aquisição de um produto como esse.

Ainda tem dúvidas sobre o que é o boiler solar e como ele pode favorecê-lo? Confira!

Afinal, o que é exatamente um boiler solar?

A palavra “boiler” quer dizer “reservatório térmico”. Ou seja, quando falamos boiler solar significa que é um reservatório que armazena a água que foi aquecida pelos coletores solares. Funciona como uma espécie de caixa d’água térmica.

O reservatório térmico precisa ser construído com material resistente, pois isso será relevante para a durabilidade do sistema de aquecimento solar. Os tipos mais comuns de reservatórios são construídos com aço inox, isolados termicamente com poliuretano e revestidos com alumínio. Á agua sempre fica em contato com o aço inox, o que garante uma maior durabilidade ao produto. O isolamento térmico de poliuretano garante que a água se mantenha quente por mais tempo e o revestimento de alumínio protege o isolamento térmico, garantindo assim que a eficiência térmica do produto se mantenha por anos!

Alguns fabricantes utilizam outros materiais na construção do boiler, como plástico, isopor e lã de vidro. Cada material tem suas vantagens e desvantagens e isto deve ser levado em consideração na hora da compra.

Os boilers possuem um sistema de aquecimento auxiliar elétrico. Este sistema é utilizado quando os coletores solares não conseguirem aquecer a água na temperatura desejada para consumo. O sistema auxiliar é composto por uma resistência elétrica e um termostato. Alguns fabricantes possuem modelos de boiler sem o suporte elétrico e neste caso, o usuário do sistema deverá utilizar um outro sistema de apoio, por exemplo, um chuveiro elétrico.

Reservatório térmico (boiler solar)
Reservatório térmico (boiler solar)

Quais as vantagens de ter um boiler solar?

O boiler solar ou reservatório térmico é um item essencial em um sistema de aquecimento solar. Os coletores solares captam a energia solar e convertem em calor, que é transferido para a água. O boiler é responsável por manter este água quente até que ela seja consumida a noite, ou seja, sem um reservatório térmico, toda a água aquecida pelos coletores solares “esfriaria” e você não teria água quente para tomar o seu banho a noite. 

Outra grande vantagem de um boiler solar é o sistema de aquecimento auxiliar. Com este sistema instalado, você poderá trocar o seu chuveiro elétrico por uma ducha, o que trará um conforto extra para o seu banho. Em dias frios e chuvosos, basta ligar o sistema de aquecimento auxiliar do reservatório que a água será aquecida na temperatura pré-determinada (configurada no termostato do sistema).

No mercado existem vários tipos e modelos de reservatórios térmicos. Quer conhecê-los e saber qual é o melhor para sua residência? Conheça o ebook como escolher o reservatório térmico do seu aquecedor solar!

Crianças na piscina: com o que devo me preocupar?

Aproveitar dias quentes e ensolarados na piscina é um grande prazer, ainda mais no calor do verão. Mesmo que estejamos dispostos a nos divertir, devemos tomar alguns cuidados se houver crianças na piscina — mesmo que elas saibam nadar.

Esse é um dos locais de lazer que mais necessitam de vigília. Muitas coisas podem acontecer e, por isso, você precisa estar sempre por perto e alerta. As crianças podem ficar animadas com as brincadeiras e por isso não devem ficar sozinhas em piscinas, e não importa o quão rasas elas sejam.

Sendo assim, para que seus dias de férias e divertimento sejam tranquilos — sem nenhum acidente preocupante — vamos citar alguns cuidados que todos os responsáveis devem ter com crianças na piscina. Acompanhe!

Supervisione continuamente

Crianças nunca devem ficar sozinhas nas piscinas, principalmente as menores. Seja em piscinas de maior ou menor profundidade, elas estão vulneráveis a acidentes. Com crianças mais velhas e habituadas a piscinas, o acompanhamento pode ser feito do lado de fora da piscina para estimular a independência delas, mas não se descuide. Basta um momento de distração para que um acidente aconteça! Então, nada de cochilar ou se distrair com o celular.

Tenha cuidado com as boias

Alguns pais podem achar que pelo fato de a criança estar protegida com um par de boias de braço ela não precisa de supervisão, isto é um erro. As crianças podem se desequilibrar mesmo com as boias e virarem o rosto para a água. Por isso, a supervisão se faz necessária.

Antes de colocá-las a uso, encha bem as boias e verifique se elas estão adequadamente fechadas e sem rasgos. Apesar de serem mais tradicionais, as boias de braço não são as mais recomendadas. O mais recomendado às crianças é o uso de coletes salva-vidas adequados, que proporcionam mais segurança.

Verifique a profundidade da piscina

Piscinas mais profundas representam maiores riscos, por isso, os cuidados devem ser ainda maiores. Contudo, mesmo que a profundidade da piscina permita que a criança fique de pé, não diminua sua atenção. Há riscos de afogamento em qualquer área da piscina: cãibras e desequilíbrios – e, consequentemente, acidentes – podem acontecer a qualquer momento.

Fique atento à limpeza da piscina

Natação e atividades com crianças na piscina são consideradas saudáveis, no entanto, a água deve estar sempre muito limpa, com o tratamento adequado. Algumas crianças são mais sensíveis ao cloro e o contato com ele pode desencadear dermatites, crises de asma e rinite. Por isso, verifique qual o tipo de cloro empregado na piscina e evite deixar seu filho, principalmente se for bebê, em contato muito prolongado com a água.

Mantenha a piscina aquecida em dias mais frios

Em dias não tão quentes, como no verão, também é possível usufruir das delícias da piscina. Por isso, é bom providenciar um bom sistema de aquecimento para que as crianças aproveitem mais os dias e não precisem sair por causa da água fria. Além disso, elas poderão usar a piscina em diversos momentos do ano e se habituarem cada vez mais à água!

Cuide da área da piscina

No caso de ter uma piscina em casa, cuide para que as crianças não tenham acesso a ela sem que você esteja por perto. Para começar ele deve ser coberta após o uso e o preferível é que haja um portão com chave para se ter acesso a ela. Opte por um piso antiderrapante e oriente as crianças para que utilizem sempre a escada para entrar na piscina.

O que você achou das nossas dicas para curtir melhor com as crianças na piscina? Então continue conosco e saiba quais são as 5 coisas que não podem faltar na sua área da piscina!

Precisamos conversar sobre o consumo de energia da sua casa

Você está construindo ou reformando e sabe que a fase mais importante da obra é o planejamento, certo? Além de estudar o orçamento para cada etapa do trabalho, você também não abre mão de escolher materiais de primeira qualidade, sem falar na preocupação com a questão ambiental e no consumo de energia?

Muito mais do que simplesmente preocupar-se com a economia de eletricidade durante a rotina doméstica, você quer conscientizar a sua família sobre o uso racional da energia elétrica antes mesmo de a obra ser finalizada, não é?

Para te ajudar nessa tarefa de consumo consciente aliada à economia e ao bem-estar da sua família, trouxemos este artigo que vai desconstruir os principais mitos sobre o consumo de energia, para que você invista em instalações funcionais, modernas e inteligentes. Confira!

Chuveiro de 220 volts esquenta mais?

Não. A tensão de um aparelho não interfere em seu consumo de energia, portanto não faz diferença se o aparelho é 110 ou 220 volts. O que influencia no consumo é a potência do aparelho e o tempo em que ele é mantido ligado: quanto maior a potência e quanto mais tempo você utilizá-lo, mais alto será o valor da conta de luz.

Faz diferença tirar os aparelhos da tomada antes de sair de casa?

Essa medida não faz uma diferença significativa na conta de luz. Isso porque o hábito de manter os aparelhos conectados à tomada consome pouquíssima energia. No entanto, a economia poderia ser significativa se os milhões de pessoas que mantêm os aparelhos na tomada resolvessem desconectá-los quando desligados.

Posso deixar o carregador sozinho na tomada?

Nesse caso, o consumo de energia é mínimo, sobretudo no que diz respeito a carregadores mais modernos. Mas não custa desconectá-los, não é?

Posso manter o aparelho na tomada mesmo quando a carga já está completa?

Quando a bateria já está completamente carregada, não há mais energia a ser puxada pelo carregador. Porém, assim como no caso anterior, um consumo mínimo ainda existe.

Posso secar roupas atrás da geladeira?

Não faça isso, a menos que você queira reduzir a vida útil do eletrodoméstico e aumentar consideravelmente o valor da sua conta de luz. Isso porque, ao colocar roupas molhadas ou úmidas atrás da geladeira, você dificulta a dissipação do calor, que é feita por meio das grades traseiras do aparelho.

Desse modo, o motor precisa trabalhar mais para manter o resfriamento no interior da geladeira, resultando no desgaste da peça e no aumento do consumo elétrico. Portanto, esqueça esse hábito!

O ar-condicionado é o maior vilão do consumo de energia?

Não. O chuveiro elétrico é o maior responsável pelo valor da conta de luz. Após o chuveiro vem o ferro de passar, a geladeira e, só então, o ar-condicionado.

Aquecedor solar consome muita energia?

Esse é, sem dúvidas, o maior mito da lista. Acontece justamente o contrário: o uso de aquecedores solares diminui consideravelmente o consumo de energia elétrica nas residências, pois esse tipo de instalação se utiliza de uma fonte de energia limpa e inesgotável para aquecer a água da sua casa: o sol.

Funciona assim: o sistema é composto basicamente pela interação das placas (coletores solares) e do boiler (reservatório térmico). As placas absorvem a energia solar que, em seguida, é transferida para a água que está circulando pelas tubulações do sistema.

Isolada termicamente, essa água aquecida cai direto no reservatório, onde fica armazenada até que seja consumida nas instalações domésticas. Assim, o aquecedor solar é capaz de aquecer a água de forma ecologicamente correta, gerando economia na conta de luz.

Ao instalar um sistema de aquecimento solar, você consegue reduzir em até 30% o valor da sua conta de luz, já que estará utilizando uma energia limpa para o aquecimento. Levando em consideração que o Brasil é um país tropical — no qual se faz sol o ano inteiro —  o investimento torna-se ainda mais vantajoso!

Agora que você já sabe toda a verdade sobre o consumo de energia elétrica, já pode investir com comodidade e segurança nas instalações mais vantajosas para sua casa. Ficou interessado na funcionalidade dos sistemas de aquecimento solar? Então baixe nosso e-book e aposte na melhor maneira de economizar!

Entenda como ocorre a durabilidade do aquecedor solar

O aquecedor solar é uma realidade em muitas casas brasileiras, ajudando o meio ambiente e ainda permitindo ter água quente e conforto sem gastar muito com a conta de energia no fim do mês.

Porém, na hora de analisar se essa é uma boa opção, muitas pessoas não sabem qual é a durabilidade do aquecedor e, com isso, não conseguem dimensionar o tempo de retorno que terão sobre o investimento.

Se você está construindo ou reformando e pensa em contar com um aquecedor solar na sua casa, continue a leitura e saiba tudo sobre o seu funcionamento e durabilidade.

Como funciona o aquecedor solar?

O aquecedor solar, como o próprio nome indica, utiliza o calor do sol para aquecer a água e mantê-la em uma temperatura agradável para que possa ser utilizada nos chuveiros, torneiras, piscinas e muitos outros.

Para que esse processo ocorra, são necessárias algumas partes essenciais que formam os aquecedores, sendo elas:

1. Placas coletoras ou coletores solares

Fabricado em cobre ou aço inox, é o local onde a água é aquecida pelo calor do sol. Os coletores são responsáveis por transformar a radiação do sol em calor e, posteriormente, aquecer a água (que passa por serpentinas) e então é transportada por uma bomba até o boiler.

Nas regiões mais frias e que sofrem com geadas, as placas de inox são as mais usadas, já que o frio intenso pode congelar a serpentina por onde a água corre. O inox é responsável por evitar o rompimento das serpentinas em caso de congelamento.

Geralmente, os sistemas contam com mais de uma placa de aquecimento, sendo que a água passará pela serpentina quantas vezes for necessário até que ela consiga ser aquecida.

2. Boiler ou reservatório

É o local onde a água quente fica armazenada. Normalmente ele é produzido em aço inox e possui diversas capacidades, variando de 200 a 5000 litros e pode ser de baixa ou de alta pressão.

Na maior parte das casas, a água circula do coletor para o boiler através de um sistema natural chamado de termossifão. Nos casos de grande volume, esse sistema é feito por bombeamento, com o uso de motobombas.

Além disso, muitos dos reservatórios podem dispor de um apoio elétrico para os dias nublados, sendo que o consumidor não precisará acioná-lo porque ele é automático. Mas, como o Brasil possui uma grande incidência solar, o uso do sistema elétrico é bastante reduzido.

Qual a durabilidade do aquecedor solar?

Na hora de se decidir por usar ou não um aquecedor solar na sua casa, um ponto que deve ser considerado é a durabilidade do sistema. Assim você terá uma ideia do tempo de amortização do investimento.

Se você já andou dando uma pesquisada no assunto, pode ter notado que existe uma discrepância entre a durabilidade do sistema, sendo que alguns técnicos dizem que ele pode durar 5 anos e outros até 30 anos.

A média, no entanto, é de 20 anos de vida útil, desde que, claro, você considere as recomendações quanto à compra, instalação e à manutenção.

Durante a compra é importante analisar as características da água que irá abastecer o aquecedor solar. Dependendo destas características, deve-se optar por reservatórios térmicos em aço inox 316 e coletores solares de aço inox. Em alguns casos, a água é potável, porém, possui características que corroem os metais usados na fabricação do produto.

A instalação deve ser sempre feita por um técnico, que analisará o espaço disponível para a instalação, evitando colocar os coletores próximos de árvores frutíferas ou em locais que podem sofrer ações de vândalos (como crianças jogando pedra, por exemplo). 

Já a manutenção, em geral, é bastante simples. A cada dois anos, é recomendada uma limpeza dos coletores, que pode ser feita com água e sabão, de preferência nas primeiras horas da manhã ou no fim da tarde, o que evita o choque térmico devido a mudanças bruscas na temperatura.

Além disso, é recomendável sempre verificar a integridade dos vidros dos coletores e também a drenagem do sistema, principalmente se atentando a possíveis obstruções nas tubulações.

Com esses cuidados, é possível que o seu sistema de aquecimento solar dure até duas décadas, amortizando o seu investimento inicial e ainda ajudando você a poupar com as contas de energia elétrica.

Agora que você já entendeu o funcionamento do aquecedor solar e a sua durabilidade, que tal contar com um sistema assim na sua casa? Entre em contato conosco e saiba como adquirir o seu!

Entenda a importância da sustentabilidade na construção civil

A construção civil é o setor que mais gera resíduos sólidos no meio urbano, ou seja, o que mais suja o meio ambiente.

Ainda após as construções terminadas, continua gerando resíduos, como esgoto e lixo doméstico, e consumindo recursos naturais, como água e energia elétrica.

Podemos diminuir o impacto causado aplicando os conceitos de sustentabilidade na construção civil.

Sustentabilidade significa “suprir as necessidades da geração presente sem afetar a habilidade das gerações futuras de suprir as suas”, ou seja, é o consumo consciente de recursos naturais e produção moderada de lixo, preferencialmente com o seu reaproveitamento.

Neste artigo vamos tratar da importância da sustentabilidade na construção civil e das suas vantagens.

Importância

Além de gerar resíduos, a construção civil também é a maior responsável pelo consumo de recursos naturais: cerca de 50% do total dos recursos extraídos.

Esse grande consumo do setor causa preocupações com relação à possibilidade de esgotamento dos recursos naturais. Aí entra a sustentabilidade aplicada à construção civil.

Utilizar os recursos naturais de forma consciente, diminuindo o consumo e aumentando o reaproveitamento, se torna indispensável para que nossa qualidade de vida continue nas futuras gerações. As tecnologias avançam cada dia mais nesse quesito, tornando-se mais baratas e mais eficientes.

Incentivos

O governo vem dando vários incentivos fiscais para construções que adotem a prática sustentável.

O projeto de lei federal n. 252/2014 dispõe sobre a adoção de práticas de construção sustentável, como telhados verdes, aproveitamento de energia solar, águas pluviais e reutilização de água.

O IPTU Verde, que dá descontos de 5% a 20% para novas construções ou reformas que implementem o conceito de sustentabilidade, já foi aprovado em cerca de 55 cidades brasileiras.

Vários estados e municípios vêm aprovando leis e decretos estimulando a sustentabilidade na construção civil.

Redução de gastos

Apesar de as construções sustentáveis custarem cerca de 5% a mais que uma construção normal, esse gasto deve ser encarado como um investimento. A médio e longo prazo, a economia com água e energia chega a 30%, compensando o custo.

O uso de materiais reciclados também geral economia na obra. Tijolos e telhas são os itens mais comuns de serem reciclados, e eles podem ter outros materiais reciclados em sua composição, como resíduos de embalagens Tetra Pak, garrafas PET e pneus, que podem deixar o material reciclado até mais resistente que o comum.

Conforto e comodidade

Construções sustentáveis também podem gerar conforto e comodidade, além da possibilidade de serem esteticamente atrativas.

O telhado verde, por exemplo, é capaz de reduzir em cerca de 5º C a temperatura interna de uma casa, além de poder dar uma ótima área de lazer, dependendo das características da laje, e ainda ajudar na captação da água da chuva.

Com a temperatura reduzida, um sistema de aquecimento solar seria um ótimo apoio. Esse sistema utiliza o Sol como fonte de calor para o aquecimento da água.

Não confunda energia solar com aquecimento solar. O primeiro gera energia elétrica, enquanto o segundo é um sistema usado somente para o aquecimento da água. Existem diversas opções de sistemas de aquecimento solar à escolha.

Então, aprendeu a importância da sustentabilidade na construção civil para aplicá-la nas suas obras? Siga-nos no Facebook e no LinkedIn e saiba mais sobre o assunto.

 

Como o aquecedor solar reduz custos de energia?

Na tentativa de reduzir gastos, as pessoas procuram adotar práticas mais conscientes de consumo. Medidas como diminuir o tempo do banho ou substituir o ar-condicionado pelo ventilador costumam trazer algum resultado.

Você sabia que é possível reduzir ainda mais os custos de energia? Com o aquecedor solar, a economia pode chegar a 40% do valor da fatura.

Neste artigo vamos tratar das principais características desse sistema de energia e demonstrar como ele pode ser uma ótima opção para você. Confira:

Funcionamento do aquecedor solar

Em síntese, podemos dizer que o aquecedor solar funciona com a combinação de dois itens: as placas coletoras, que ficam expostas à luz solar e são responsáveis por absorver a radiação que entra em contato com a água, e o reservatório térmico (boiler), que armazena a água sem perda da temperatura.

Aquecedor solar no Brasil

As condições climáticas no Brasil são altamente favoráveis à utilização do sistema de aquecimento solar, mas o potencial dos recursos naturais ainda não é aproveitado como poderia.

A utilização do aquecedor solar não é exatamente uma novidade do mercado. Desde a década de 1980, a ABTN (Associação Brasileira de Normas Técnicas) define as diretrizes para o desenvolvimento do sistema.

O aquecedor solar e a redução dos custos

A instalação de um aquecedor solar em âmbito residencial pode custar entre R$ 2.000,00 e R$ 6.000,00. O preço tende a ser mais baixo quando a instalação ocorre durante a construção do imóvel, mas nada impede que o sistema seja implantado em imóveis prontos.

Muitas pessoas descartam a possibilidade de usar o aquecedor solar por acharem que o custo de instalação é muito alto. Não deixa de ser verdade que o investimento inicial é maior que em outros sistemas — é mais caro, por exemplo, instalar as placas coletoras do que um chuveiro elétrico, mas é preciso considerar o retorno a médio e longo prazo.

A água aquecida é utilizada, na maioria dos casos, em dois equipamentos: o chuveiro elétrico e a piscina. Historicamente, o banho quente é considerado o grande vilão das faturas de energia elétrica. Conseguir utilizar outra fonte de energia justamente nesses itens tão significativos é certeza de economia no final do mês.

Retorno e valorização

Com o passar do tempo, a economia na fatura de energia elétrica vai compensar o valor que foi gasto na instalação. Considerando que o aquecedor solar tem uma vida útil de aproximadamente 20 anos e que é possível recuperar o investimento em um prazo médio de dois anos, o sistema é altamente vantajoso.

Vale destacar, ainda, que um imóvel que conta com um sistema de aquecimento solar é mais valorizado no mercado imobiliário. Cada vez mais pessoas estão cientes da economia proporcionada pelo aquecedor e priorizam também um sistema de energia limpa e sustentável.

Há vários benefícios em colocar um aquecedor solar em sua casa. Ponderando os fatores apresentados neste artigo, é mais fácil entender a relação custo-benefício e deixar de levar em conta apenas os custos iniciais.

E você, ficou interessado em instalar um aquecedor solar? Gostaria de obter mais informações? Não deixe de entrar em contato conosco e tirar todas as suas dúvidas!

5 dicas para aumentar a venda de aquecedor solar

Convencer o cliente a realizar uma compra é sempre algo difícil e desafiador. A boa notícia é que o mercado ― para esse segmento ― está cada vez mais aquecido.  Esse contexto favorável não renderá frutos por si só. Se você deseja aumentar a venda de aquecedor solar, é necessário planejamento, organização, foco e controle para atingir o sucesso.

Pensando nisso, selecionamos 5 excelentes dicas para que você possa aproveitar o potencial de crescimento do setor e aumentar suas vendas. Confira:

1. Mantenha o foco nas necessidades do cliente

A primeira coisa a se pensar para aumentar as vendas é o interesse do cliente. Qualquer empresa que inicie seu marketing dizendo quão bons são os seus produtos, estará cometendo um grave erro. O foco deve estar sempre no cliente, não na empresa: quais soluções estão sendo oferecidas para resolver seus problemas? Como vão se beneficiar?

2. Adapte sua mensagem para aumentar a venda de aquecedor solar

Você deve adaptar sua mensagem às principais necessidades dos clientes. Por exemplo: a fome não é a única, mas é a principal necessidade que leva os consumidores a comprarem comida. No que se refere aos aquecedores solares, as principais necessidades tendem a ser:

  • aumentos recorrentes da tarifa de energia elétrica;

  • alto custo das contas mensais de luz;

  • preocupações ambientais;

  • desejo de aprovação social (status) e autoapreciação.

3. Eduque seus clientes

A principal preocupação das pessoas que estão se decidindo, neste exato momento, sobre a viabilidade da compra um aquecedor solar, diz respeito ao seu lembrete mensal de que estão pagando cada vez mais caro por coisas tão simples quanto um banho quente.

Você deve direcionar mensagens educativas a seus clientes para combater a ideia de que aquecedor solar é um produto muito caro. Mostre a eles que os preços caíram consideravelmente ao longo dos anos e que, mais do que uma simples compra, trata-se de um investimento no conforto de suas famílias e que proporcionará claros benefícios financeiros.

4. Divulgue seu produto em dias estratégicos

Comprometa sua publicidade para educar o cliente sobre a economia inerente à utilização do aquecedor solar. Se você souber quando a empresa de energia elétrica de sua região envia os boletos de pagamento, segmente esses dias com anúncios na web ou junto às mídias tradicionais (rádio, TV e jornal impresso).

5. Aproveite o “poder da comunidade”

Vá até o bairro do cliente após a instalação do aquecedor solar e busque contatar a comunidade. Deixe folhetos. Peça ao seu cliente para apresentá-lo a alguns vizinhos. Coloque sinais visuais para marcar sua presença no local e dizer que aquela pessoa confiou em você para colocar um aquecedor solar em seu telhado.

Ciências humanas como a Psicologia e a Sociologia já alertaram sobre o poder influenciador de sentimentos humanos básicos como o ciúme e a inveja. Se a casa de alguém no bairro está equipada com aquecedor solar, seus vizinhos interpretarão o fato como um símbolo de autossuficiência, independência e orgulho.

Isto será um forte motivador para gerar o interesse de compra e alavancar a venda de aquecedor solar, afinal de contas, o vizinho está um passo à frente no que diz respeito aos cuidados e a melhorar a vida de sua família.

Gostou do post? Caso tenha ficado com alguma dúvida ou queira saber mais, entre em contato conosco!

 

Como diminuir pela metade os custos da obra?

Construir o próprio imóvel é um grande feito, não somente pela possibilidade de fazer uma casa que reflita sua personalidade, mas também por poder adequar a construção aos seus hábitos e às suas necessidades. Esse segundo ponto pode trazer, além de conforto, economia e otimização dos recursos da obra.

Opções sustentáveis, por exemplo, são ótimas soluções não só para o bolso, mas também para o meio ambiente. Acompanhe nossas dicas e veja como enxugar o orçamento e diminuir os custos da obra!

Economize desde o começo

Antes mesmo do planejamento, a escolha dos profissionais envolvidos pode significar economia para a obra. Engenheiros e arquitetos que estejam alinhados com o seu perfil e com o seu orçamento podem oferecer soluções alternativas, que mantenham a mesma estética ou funcionalidade das referências, porém, com um custo menor.

Outra dica para o pré-projeto é o uso de modelos virtuais de edificações, que simulam a construção em todas as fases, ajudando a elaborar melhores cálculos por etapa.

Compre mais por menor preço

Em uma época tão delicada economicamente, saiba poupar em compras que envolvam grandes quantias, como no caso de construções.

Escolha lojas que ofereçam o maior número de produtos: hidráulicos, ferragens, acabamentos, etc. Desse modo, a possibilidade de compras com descontos em pagamentos à vista e de parcelamento sem juros será maior.

Lembre-se de que para acertar na compra de todo o material de uma vez, seu planejamento precisa estar bem afinado.

Instale telhados, portas e janelas com consciência

Por serem materiais dos mais onerosos em uma obra, escolher bem a localização e a quantidade deles em sua casa pode ser determinante para o custo da obra. Evite, no entanto, optar por produtos de baixa qualidade. Por mais barato que sejam, mais à frente costumam dar problemas e fazer com que se gaste em dobro.

Pesquise opções de acabamento

A variação entre os valores de pias, maçanetas e pisos pode ser enorme. Para economizar, faça uma boa pesquisa antes da compra. Mesmo pela internet, é possível ter uma base bem precisa da diferença de valores.

Peça dicas ao arquiteto e aos pedreiros, que possuem mais conhecimento de mercado. Se você tem alguma habilidade manual, uma boa opção pode ser colocar a “mão na massa” e economizar em etapas como pintura e pequenas instalações elétricas.

Fique atento às opções sustentáveis

Atualmente, quem pensa em economia no longo prazo, com certeza, adota um meio sustentável em sua casa. O aquecedor solar traz uma significativa economia, além de autonomia na infraestrutura. Embora aparente ter um custo alto, sua vida útil média de 20 anos e praticamente não possui manutenção.

O ideal é já incluir a instalação de boiler e tubulação na construção, ficando a parte do painel metálico para o final da obra. Não é à toa que a instalação desse tipo de aquecimento só cresce após anos no mercado brasileiro.

Com planejamento e bom senso, diminuir os custos da obra pode significar também tranquilidade para sua construção. Se você sabe outras maneiras de economizar, conte para a gente na seção de comentários!

Saiba como deixar o quarto do casal mais aconchegante

O quarto do casal certamente é o cômodo mais privativo de uma casa, uma espécie de refúgio que merece maior atenção. Já que conforto e comodidade são divididos para duas pessoas, é importante que haja um equilíbrio na decoração, para que agrade o estilo de ambos.

Acompanhe o post de hoje e confira 6 dicas para deixar o quarto do casal mais aconchegante!

Comece pela cama

A cama é a peça central do quarto de um casal, além de ser a peça que ocupará mais espaço no ambiente. É claro que logo pensamos em uma cama king size, mas antes disso, devemos levar em consideração o tamanho do cômodo. Por isso, é fundamental escolher uma cama que seja confortável e se adapte ao espaço que você possui, sem obstruir a abertura de portas e gavetas.

A cabeceira é opcional! Muitas pessoas preferem deixar a parede de cabeceira livre, mas algumas optam por um modelo de tecido ou couro que pode ser facilmente modificado. O mais importante nesse ponto é a escolha do colchão, que deve suportar confortavelmente o peso de duas pessoas, o que será essencial para boas noites de sono e descanso, além de favorecer sua saúde.

Escolha bem as cores

A escolha de cores é de extrema importância, já que cor é energia e a falta dela pode dar um estado de monotonia e tédio a seu quarto, enquanto o excesso pode causar estresse.

Para manter o quarto aconchegante opte por cores off-white como salmão, verde-água, areia, rosa-claro etc. Cores mais fortes, como vermelho, laranja, roxo e amarelo são ótimas para estimular a sexualidade, e podem ser usadas em uma parede ou em itens de decoração.

Atente-se para a iluminação

Para manter um clima aconchegante no quarto do casal, a iluminação deve ser sempre agradável e suave. Luminárias e abajures podem ajudar neste sentido, além de cortinas na janela para tapar a luz do sol. Verifique também se os interruptores são de fácil acesso, pois alguns deles devem estar ao alcance das mãos quando o casal estiver deitado.

Invista na decoração das paredes

A parede do quarto de casal deve ser decorada com detalhes que traduzam o estilo de vida do casal. Você pode colocar quadros, papel de parede, fotos, ou ainda, prateleiras para colocar livros e lembranças de viagens. Um espelho grande além de muito funcional faz com que o espaço pareça maior.

Crie um lugar para sentar

Ter uma poltrona, pufes ou um sofá pequeno é uma opção para se ter uma conversa no final do dia ou para assistir a um filme ou ler um livro antes de ir para cama. Além disso, quando outras pessoas forem a seu quarto, como os filhos, este será o local ideal para elas sentarem.

Mantenha a temperatura agradável

Para que haja conforto, é preciso que a temperatura esteja agradável, ou seja, nem calor ou frio demais. Para o inverno, os aquecedores solares são uma ótima opção e um investimento em longo prazo, além de ser uma opção sustentável. Com esse tipo de aparelho, você economizará cerca de 40% em sua conta de energia.

Para os dias de verão, um ar-condicionado no quarto do casal é sempre uma boa opção, além de janelas colocadas em pontos estratégicos para arejar o ambiente.

Este é o primeiro artigo de nossa série que irá lhe dar dicas de como deixar cada cômodo da casa mais aconchegante. Em nosso próximo artigo, daremos dicas de como deixar sua cozinha mais confortável e utilitária. Não perca!